10 Games que se passam no Brasil


‘Max Payne 3’ tem favela paulistana como cenário
(Foto: Divulgação)

O Brasil é novamente cenário de um jogo de videogame com “Max Payne 3”, produzido pela Rockstar. Mas no mundo dos jogos, o país sempre esteve em evidência, aparecendo em cenários de games de luta, tendo um personagem brasileiro ou até servindo como parte da história, como no caso do novo título.

O game que chega ao mercado em 2012 traz o ex-policial Max Payne mais velho. Ele ele vem para o Brasil para ser segurança particular de uma família em São Paulo. Na capital paulista, ele entrará em favelas para enfrentar criminosos e traficantes. Uma das marcas tradicionais da franquia é a câmera lenta, que faz com que Payne ganhe um tempo extra para desviar das balas do inimigo e mirar com maior eficácia, estarão no game.

 10 jogos de videogame onde o Brasil é elemento de destaque; confira:

‘Modern Warfare 2 tem missão em favela do Rio
(Foto: Divulgação)

‘Call of Duty: Modern Warfare 2’ (2009)
Na perseguição pelo vilão do game, a tropa do exército norte-americano em que o jogador faz parte desembarca no Rio de Janeiro. Ao investigar uma suposta ligação com os terroristas, o jogador entra em uma favela, sendo recebido a tiros por inimigos espalhados pelos barracos. Os inimigos falam em português.

No modo de partidas on-line do jogo da Activision também há um cenário que se passa na favela, apresentando pontos perfeitos para se esconder e atirar no adversário de um ponto superior.

O brasileiro Blanka enfrenta Honda no Brasil em
‘Street Fighter II’

 (Foto: Reprodução)

‘Street Fighter II’ (1991)
Um dos personagens mais conhecidos dos games é Blanka, o lutador brasileiro da franquia de luta. Sua aparência mostruosa, de acordo com a produtora do jogo, é porque ele foi criado na floresta após o avião em que estava cair no local.

Ele usa choques elétricos contra os adversários, habilidade que aprendeu com enguias da região.

O cenário do personagem no game é uma vila na Amazônia que, como característica marcante possui uma cobra enrolada em uma árvore. Em “Street Fighter IV”, última versão da franquia, o cenário de Blanka também é no Brasil, em uma ponte no meio da Floresta Amazônica.

Sean é lutador brasileiro de ‘Street Fighter III’
(Foto: Divulgação)

‘Street Fighter III’ (1999)
Embora não se passe totalmente no Brasil, assim como “Street Fighter II”, a terceira versão do famoso game de luta da Capcom para fliperamas e consoles tem personagens e cenários brasileiros.

Um deles é Sean, descendente de japoneses e que é discípulo de Ken. Seu cenário, apresentado em “3rd Strike”, é no porto de Santos. Outro lutador é Oro, um mestre das artes marciais japonês de 140 anos que mora em uma caverna na Floresta Amazônica.

Entre os cenários dos combates, está o porto de Santos, da versão “Thrid Strike”, e o Ceasa de “2nd Impact. O cenário de Oro é uma caverna amazônica.

‘Ninja Gaiden’ tem fase final na Amazônia


(Foto: Reprodução)

‘Ninja Gaiden’ (1988)
Considerado um dos jogos mais difíceis da época, “Ninja Gaiden”, do console NES, tem sua fase final em uma fortaleza localizada na Amazônia. O jogador, na pele do ninja Ryu Hayabusa, que enfrenta os inimigos para vingar a morte de seu pai, viaja pelos Estados Unidos e acaba no Brasil. A dificuldade do game estava em que os inimigos eliminados reapareciam novamente caso o jogador voltasse pelo cenário.

 

Jogador viajava ao Brasil atrás de Carmen
Sandiego (Foto: Divulgação)

‘Where in the World is Carmen Sandiego’ (1985)
Game clássico de PC coloca o jogador na pele de um investigador que roda o mundo atrás de pistas sobre onde está Carmen Sandiego, uma criminosa famosa. Entre as localidades em que o gamer viaja está o Rio de Janeiro. Na tela do computador, há uma explicação sobre o Brasil, contando que o idioma é o português e que o país foi uma colônia de Portugal.

Recentemente, o título ganhou uma versão para o Facebook, mantendo traços do jogo original, sendo posível, no entanto, pedir ajuda para os amigos.

Fase polêmica de ‘Counter-Strike’ acontece no Rio
(Foto: Divulgação)

‘Counter-Strike’ (1999)
O jogo de tiro em primeira pessoa de PC focado em partidas entre jogadores, mania nas lan houses, tem um mapa que se passa em uma favela do Rio de Janeiro. O cenário apresenta casas abertas e vielas onde os jogadores podem armar emboscadas para os adversários. O elemento foi um dos motivos pelo qual o título chegou a ter a venda proibida no Brasil.

O game ganhará uma nova versão em
2012 chamada “Counter-Strike: Global Offensive” que traz novos mapas, armas
e gráficos renovados.

‘Driver 2’, do PSone, tem fase no Rio
(Foto: Reprodução)

‘Driver 2’ (2000)
Lançado para o PlayStation original, o título coloca o jogador em um carro para realizar diversas missões que envolvem desde perseguições de inimigos até entrega de encomendas. Uma das fases do jogo ocorre em uma versão genérica da cidade do Rio de Janeiro, com direito as praias e ao Cristo Redentor.

O monumento acaba sendo ponto de encontro da cena final do título, com gangues do Rio de Janeiro e de Chicago, nos EUA “fazendo as pazes” após os conflitos retratados no game, que ganhou nova versão este ano.

‘Shadowrun’ acontece em Santos (Foto: Divulgação)

‘Shadowrun’ (2007)
O jogo de tiro em primeira, baseado em um RPG famoso, se passa em uma cidade de Santos, no litoral paulistam, no futuro. Nele, forças mágicas retornam após um sono de 5 mil anos e uma grande corporação luta contra milícias para proteger um artefato misterioso.

A cidade de Santos serve apenas como inspiração para o enredo, que tem como cenários grandes edifícios e favelas do local.

Time ‘brasileiro’ de ‘KOF 94’ luta na Amazônia
(Foto: Divulgação)

 

‘The King of Fighters 94’ (1994)
O game de luta da SNK uniu personagens das franquias de luta da empresa em times que representavam países. Na “seleção brasileira”, os lutadores eram Heidern, Ralf Jones e Clark Steel, nenhum deles nasceu no país. Ainda, como cenário, as brigas aconteciam na Floresta Amazônica, repleta de árvores e com um helicóptero acidentado ao fundo.

Na época, o game foi lançado para os fliperamas, Neo Geo e Neo Geo CD. O Wii recebeu o game por meio do Virtual Console, permitindo que o jogador compre e jogue games antigos, e em uma coletânea para o PlayStation 2.

Jogador defende o Rio em ‘H.A.W.X’
(Foto: Divulgação)

‘H.A.W.X’ (2009)


Os combates aéreos do título da Ubisoft tem como paisagem a cidade do Rio de Janeiro, que, em 2021, é atacada por rebeldes que lutam contra os Estados Unidos e países da América do Sul. Como parte de um exército privado, o jogador deve defender pontos importantes do local, como indústrias.

A Ubisoft utilizou mapas do Rio para recriar a cidade no jogo, sendo possí vel visualizar ruas pontos conhecidos como o estádio do Maracanã, por exemplo.

 

 

 

Anúncios

Tags:, ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: